A Canalha da FIFA (2014)


Josino Moraes
Latin America Economic Researcher
www.josino.net
email: josinomoraes@hotmail.com

"FIFA" é um acrônimo para “Federatioon Internacional
De Futebol Association” fundada em Paris em 1904. Atualmente,
sua matriz encontra-se em Zurique, Suça  (Fonte: Wikipedia) e é,de
longe,o maior negocio de esportes do mundo. No Terceiro Mundo
esse esporte é enlouquecedor, idiotizador.

Por que a FiFA concedeu a Lula
et caterva  o Brasil para sede da
Copa do Mundo de de 2014?     Porque é o melhor negócio no
momento pra eles.  O Brasil tem uma das populações mais
idiotizadas do mundo pelo futebol e  é o maior  vencedor desses
torneios.. A ascensão  do futebol coincidiu com a ascensão  do
fascismo de Mussolini na Itália. De fato, em 1938, vésperas da
Segunda Guerra, Mussolini  quando saudando sua seleção num
discurso disse em suas palavras finais : “Vencer ou Morrer”, uma
famosa máxima da história política italiana  que expressava a
superimportância dada ao futebol pelo novo Estado totalitário
fascista.

A partir de então, começaram a surgir as federações e
confederações na América Latina, palavras tão queridas à
semântica e organização dos Estados ditatoriais – fascistas - na
America Latina. Isso se expandiu rapidamente com o Estado à
frente do novo esporte.  Para os ditadores da região tratava-se de
um prato cheio na busca de apoio popular.  Era uma alavancagem
ao populismo local. Nos Estados livres e outros países
democráticos são  utilizadas  as palavras “Liga” ou “Associação” em
vez de “Federação” e “Confederação”.   Tudo isso terminaria para a
construção, no topo, da FIFA. Essas confederações acabaram por
gerar milionários vagabundos que vivem às custas desse esporte.
Isso é particularmente notório no caso brasileiro, com as figuras de
João Havelange e Ricardo Teixeira, seu genro. Isso deve prevalecer
em toda a América Latina, mas não tenho dados.

Cabe aqui um paralelo com a organização trabalhista própria ao
fascismo no Brasil. Os sindicatos são únicos, próprios da natureza
fascista, e organizados em federações e confederações ao estilo do
futebol sob a tutela do Estado.

Dois casos refletem bem o nível de idiotizarão  das populações na
América Latina pelo futebol. O primeiro deu-se em 1969 com uma
guerra entre El Salvador e Honduras por uma vaga no Mundial de
então. O segundo caso, também por uma vaga para o Mundial, deu-
se no Brasil em 1989, quando se derrubou um avião Boeing que ia
para Manaus no dia de uma partida eliminatória, matando várias
pessoas, apesar das repetidas advertências de um passageiro. Ele,
bastante esperto, homem do mato, percebeu que o avião ia para o
sul ao invés do norte, seu destino final.

Na verdade, há um terceiro aspecto para ilustrar o nível de
idiotizarão de nossa população pelo futebol: a violência. “Em 2012,
22 pessoas morreram em brigas entre torcidas;em 2013, já são 30”
(Ruy Castro, Folha de S. Paulo, 11/12/2013). Apesar de tudo isso,  
o povo brasileiro gosta de citar a violência que houve há muitos
anos atrás no futebol inglês  devido aos hooligans na Inglaterra.
Tudo isso não existe no mundo civilizado. Trata-se de uma
barbárie.    

Por que penso que a FIFA não passa de uma família de canalhas?
Porque eles se preocupam unicamente com seus bolsos. Por que
trazer essa diversão de Copa do Mundo para um país de miseráveis
como  o Brasil? Será que eles não estão informados de que o Brasil,
no fundamental,  

- não tem saneamento básico e sim esgoto a céu aberto,

- que isso gera várias endemias, entre elas, a dengue, malária,
febre amarela, esquistossomose, Mal de Chagas, leishmaniose etc,

- os hospitais são precários e muitos morrem nas filas aguardando
atendimento,

- que não há trabalho para o grosso da população  e muitos puxam
carroças tal como antigamente faziam os burros e cavalos,

- que, devido a uma guerra interna morrem  crca de 50 mil  pessoas
ao ano assassinadas e outras 50mil  no trânsito,

- que as favelas se multiplicam do dia para noite, inclusive debaixo
de pontes e viadutos nas grandes cidades,
    
- hão há infraestrutura,principalmente estradas e portos para o
escoamento de nossa produção agrícola e pecuária para
exportação  que é a base de nossa economia, etc.

Com esse quadro, como é possível alguém pensar em estimular  a
construção de estádios – investimentos públicos - para a diversão
desse pobre povo? Aliás, os estádios que estão aí já são mais que
suficientes e vivem às moscas. Apenas para estimular a demência
megalomaníaca – Brasil, o maior do mundo - originária do
futebol?